"Bacurau" ganha prêmio de Melhor Trilha Sonora original no Festival de Havana


O compositor recifense Mateus Alves ganha prêmio. Foto: Bruna Valença

Por Daniela Ribeiro

O compositor recifense Mateus Alves, foi agraciado último dia 13 de dezembro, ao lado do irmão Tomas Alves, com o premio de Melhor Trilha Sonora Original, pelo trabalho realizado no filme Bacurau, de Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles, no 41º. edição do Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano, também conhecido como Festival de Havana, realizado pelo ICAIC (Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos), na categoria Ficção – Prêmio Coral,

O festival, que acontece desde 1979, surgiu com a intenção de se tornar uma continuação dos festivais de Viña del Mar, Mérida e Caracas, reunindo filmes e cineastas que representam as tendências cinematográficas mais inovadoras da América Latina.

Os filmes em competição, que concorrem ao Prêmio Coral, ou Prêmios Coral no original, são divididos em categorias: ficção, documentário e animação. O cinema brasileiro, representado com mais de 60 obras, saiu vitorioso com A Vida Invisível, Bacurau, Três Verões, Diz a Ela que Me Viu Chorar e as animações A Cidade dos Piratas, Carne e Sangro.

O filme Bacurau também conquistou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2019, tornando-se o segundo filme brasileiro da história a ser laureado no certame geral, após O Pagador de Promessas (1962) de Anselmo Duarte. Além de ter sido premiado em diversos festivais de cinema, o filme foi selecionado para mostras principais de festivais não competitivos prestigiados mundialmente, como o Festival de Nova York (NYFF).






Comentários