Lia de Itamaracá lança novo disco na ilha onde mora




Doutora Lia de Itamaracá, Patrimônio Vivo de Pernambuco, aos 75 anos de idade está novamente na estrada. Desta vez, divulgando o quarto álbum de sua carreira, Ciranda sem Fim, produzido pelo DJ Dolores, que fez a cirandeira experimentar outros gêneros, timbres e balanços, para além da ciranda. Depois da estreia no festival Coquetel Molotov, Lia vai cantar onde mais sente prazer: na praia de Jaguaribe, na Ilha de Itamaracá, onde nasceu, se criou, e para onde sempre volta quando o show acaba. A ciranda de Lia em Itamaracá está sendo viabilizada pelo Governo do Estado, através da Fundarpe. Será neste sábado (30), a partir das 20h, no Centro Cultural Estrela de Lia. O novo disco estará à venda no local.

Lia está feliz por finalmente, poder voltar a fazer show em sua terra. A última vez foi em janeiro deste ano, no dia 12, quando comemorou o seu aniversário, com direito a orquestra do Galo da Madrugada e boneco do Homem da Meia Noite, agremiação que lhe dedicou o lugar de homenageada do ano. 

Está sendo um ano de muitas conquistas importantes para a artista. Não apenas no mercado da música, mas também pelo reconhecimentos de Lia enquanto uma mulher, artista, negra, que detêm enorme bagagem na cultura popular. 

Depois de receber, em outubro, o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco, Lia de Itamaracá recebeu, nesta semana, a medalha “Mulheres de Tejucupapo”, da OAB.

“Lia honra cada vez mais o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco que lhe foi conferido. É hoje a artista popular que mais tem circulado por todo Brasil, ampliando o alcance de nossas tradições, conquistando novos públicos, e é sempre uma satisfação poder reverenciar sua arte e fortalecer sua trajetória”, diz Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe.

Ouça o disco "Ciranda sem fim" na íntegra

Comentários