Karina Buhr lança novo single; ouça "A casa caiu"

Novo single de Karina Buhr fala de raiva e revolta. Foto: Hélia Scheppa

A cantora e compositora Karina Buhr lançou, nesta sexta (12), um novo single nas plataformas digitais. A “A Casa Caiu” fala sobre a raiva e a revolta, sobre a casa grande caindo, sobre coronelismo e latifúndio e as reações a tudo isso. Ela escreveu e compôs uma música sobre derrubar tudo.

“A letra fala ‘a casa caiu’ como figura de linguagem, mas também se mistura com casas caindo de fato. Uma das citações fortes é o crime ambiental de Brumadinho, que resultou em pessoas e natureza soterradas”, afirma Buhr.

Acompanhada dos instrumentos bombo, caixa, ganzá e uma guitarra agressiva, Karina Buhr canta:

“Não sou desejado por perto / o que uma casa cuspiu /
que uma luta pariu / sem recesso da causa /
pela falta de alma / por excessos da fauna /
da turba do coronel”

O single “A Casa Caiu” é um dos punk rocks de tambor do disco Desmanche, que será lançado no dia 26 de julho. Este é o segundo single que Karina apresenta antes da chegada de seu quarto álbum. O primeiro foi o videoclipe “Sangue Frio”, assista aqui.

O disco Desmanche vem ao mundo munido de tambores, poesia e forte conexão com o momento político do Brasil. 

Ficha Técnica:

A Casa Caiu (letra e música Karina Buhr)

Karina Buhr: voz, bombo
Regis Damasceno: guitarras e baixo
Maurício Badé: bombinho
Bernardo Pacheco: guitarra*
*gravada na Fábrica de Sonhos

Produção Musical – Karina Buhr e Regis Damasceno
Gravada por Lenis Rino no estúdio Navegantes

Mixada por Bernardo Pacheco
Masterizada por Felipe Tichauer
Produção executiva – Karina Buhr e Máquina Produções Artísticas


Letra:

Não sou desejado por perto
o que uma casa cuspiu
que uma luta pariu
sem recesso da causa
pela falta de alma
por excessos da fauna
da turba do coronel
da turba do coronel
da turba do coronel
a casa caiu!
a casa caiu!
a casa caiu!
a casa caiu!

um elo que liga os dois mundos
a violência de um
com a ardência do outro
que trabalha o dobro
que trabalha o dobro
que trabalha o dobro
a casa caiu!
a casa caiu!

do lado da luz, vitória e dinheiro
corpo do minerador
com a cruz e a pá no cativeiro
promessa de segurança
mentira lavada e lavrada
a escada pra respirar
na estrada enlamaçada
quebrou ou não virá
procurar em baixo da crosta
cor vermelha, todos de barro
como no fim do mundo ou no começo
a lágrima, a reza, o esparro
trabalha a minúcia, o apreço
ela diz eu não mereço
se pra você ele não vale
meu nó na garganta grita
explode e não acredita
na versão da vez do dono
aqui quem manda é ele
pra multidão sobra o dolo
pensar num plano efetivo
que acabe com o bem seletivo
que ele escolheu comandar
autuar com multa não serve
das mãos do ferido
esses vermes
não podem mais escapar
a casa caiu!
a casa caiu!
a casa caiu!
a casa caiu!
não sou desejado por perto
busco o correto na palma
prensando pausa e labuta
sem dinheiro pro boleto
sem dinheiro pro boleto
sem dinheiro pro boleto

Informações da Tropi.Press

Comentários