Romero Ferro lança vídeo com influências pop brega

Capa do single "Pra te conquistar"

O single e o clipe de "Pra te conquistar" são as primeiras pistas de novo álbum do pernambucano, programado para ser lançado no início de 2019. A ideia é, até lá, lançar mais dois clipes de mais duas músicas inéditas de seu novo trabalho. 

O vídeo foi gravado em Juiz de Fora (MG) e dirigido por Mário Júnior, enquadra um Romero Ferro dançante, alguém que sabe brincar diante da câmera, trazendo um gestual que dialoga com a música e enfatizando cada parte da letra como se estivesse dando um recado para alguém. 

"Pra Te Conquistar" foi produzido por Leo D (também tecladista do Mundo Livre S/A) e Patrick Torquato. "Talvez o problema em você seja maior em mim", canta Romero, enfatizando o jogo de espelhos que permeia uma relação amorosa, para depois concluir: "Os nossos erros já não têm mais fim. E eu me pergunto do avesso, ao contrário, se eu ainda estou afim". 

O próprio Romero Ferro explica o novo direcionamento de sua música. "Eu venho mergulhando no universo do brega e da música pop desde o início da minha carreira, amadurecendo minhas composições através de minhas experiências e referências. Acredito que cada álbum de um artista precisa trazer algo novo. Foi aí que iniciei as conversas com Patrick Torquato e depois com Leo D. A partir daí, fomos costurando ideias, caminhos e sonoridades", diz. "Eu e Patrick começamos a ouvir várias coisas, fomos para alguns festivais juntos e  foi em São Paulo, durante a SIM SP, que compus as primeiras músicas desse meu próximo trabalho", afirma.  

"Começamos a ouvir New Wave e resolvemos misturar com o brega pernambucano. Percebemos que os dois estilos têm muito em comum. Leo D., produtor musical, adorou a ideia, e tivemos algumas reuniões antes da gravação", conta Romero. "Este novo projeto foi nomeado como 'TropicalWave' ou 'BregaWave', revela. "As referências vão de Kaftwerk, Toro y Moi, Daft Punk, Tame Impala, Reginaldo Rossi, Márcio Greyck e Odair José, passando pelo pop dos anos 1980 de Marina e Lulu Santos. O disco vem nesse universo".

Leo D, produtor de "Pra Te Conquistar, confirma tudo isso e detalha como foi elaborada a produção do single. "Buscamos inspiração nas músicas dos anos 1980 que fazem sucesso nas festas 'brega kitsch' atuais. A batida da música veio de 'Lindo Lago do Amor', de Gonzaguinha. Os sintetizadores do refrão vieram de uma pegada 'Olhar 43', do RPM. O solo de guitarra foi inspirado em Kaftwerk. Daí nasceu o estilo que batizamos de 'BregaWave', um brega com sintetizadores poderosos, conta Leo D.
  


PARA LER

"Eu Não Sou Cachorro, Não" - Paulo César de Araújo

Artistas considerados bregas - como Odair José e Waldik Soriano - sempre apareceram no topo da lista de mais vendidos. Veiculados nas rádios. freqüentavam os programas de auditório. mas não receberam o devido respeito e espaço em livros e teses. pois freqüentemente eram associados à ditadura militar. Em "Eu Não Sou Cachorro, Não" o historiador Paulo César de Araújo preenche essa lacuna na historiografia da música popular brasileira e mostra como as figuras mais demonizadas por aderirem à cultura oficial durante os anos de chumbo, na verdade, foram tão ou mais perseguidas pelo regime quanto os artistas de esquerda.


O autor compara a produção musical dentro do contexto histórico. dando especial atenção ao AI5. Paulo lembra. também. que a maioria desses cantores vivenciou o trabalho infantil: Nelson Ned e Agnaldo Timóteo foram engraxates. Paulo Sérgio. alfaiate. O livro traz. ainda. diversas curiosidades do universo musical cafona. São histórias que só agora chegam a público. (Texto Amazon)



Comentários