Pernambucana Karynna Spinelli conquista prêmio nacional de música

Karynna Spinelli conquistou Prêmio Grão de Música. Foto: Nilton Leal


Por Tati Pugliesi 
tati@cais.art.br

Buscar e valorizar os compositores, compositoras e intérpretes, de diferentes gerações, destacando sobretudo a canção brasileira. Esta é a proposta essencial do Prêmio Grão de Música que chega à sua 5ª edição em 2018. Cantora, compositora, fundadora e presidente do Clube do Samba do Recife, Karynna Spinelli foi anunciada como uma dos 15 artistas premiados neste ano, os quais representam 12 estados brasileiros. A cerimônia de premiação acontece no dia 20 de outubro, na Sala Olido, em São Paulo.

Os contemplados e contempladas selecionados pela curadoria do Prêmio Grão de Música são escolhidos sempre pelo conjunto da sua obra e trajetória artística. Os artistas premiados recebem uma estatueta em bronze criada por Elifas Andreato e entregue na cerimônia de premiação que acontecerá em São Paulo, agendada este ano para o dia 20 de outubro. A cada edição, os 15 nomes premiados também são reunidos em um disco coletânea produzido pelo PGM, cada um deles participa com o registro de uma música. O CD é distribuído gratuitamente e disponibilizado no site em formato digital. (http://premiograodemusica.com.br)

Anualmente, o Prêmio Grão de Música vem se dedicando a buscar artista da música popular brasileira com o objetivo de valorizar e promover o gênero canção de todas as regiões do país. O foco principal desta procura, mas não exclusivo, é o interior do Brasil, na tentativa de "garimpar" e revelar talentos escondidos e fora dos circuitos habituais; os premiados e premiadas no geral são ainda pouco conhecidos pelo grande público. 

O PGM é idealizado pela cantora e compositora paraibana Socorro Lira, que nas primeiras edições mantinha a realização apenas com recursos próprios. Atualmente, o Prêmio conta com patrocínio da Metanoia - Propósito nos Negócios e Editora Palavra Acesa, além do apoio da  Prefeitura de São Paulo.


"O Grão é um espaço dedicado a destacar e revelar obras e trajetórias artísticas relevantes para o país e para a humanidade como um todo; sendo que boa parte não  tem divulgação e nem sempre é vista pela crítica especializada, em muitos casos estão ainda fora dos circuitos culturais mais influentes. Penso que o Grão pode ajudar a dar luz a isto e dizer a estes e estas artistas: sua música pode ser para o país inteiro, para o mundo", compartilha Socorro Lira sobre a iniciativa.

O ilustrador Elifas Andreato assina toda a identidade visual do PGM: troféu, logotipo e capa do CD. Elifas tem uma história notável com a música brasileira, foi responsável por centenas de capas de discos icônicas e de grandes nomes como Elis Regina, Chico Buarque, Clementina de Jesus, Martinho da Vila e recentemente do Criolo.

Na curadoria, o Prêmio Grão de Música vem se tornando mais colaborativo a cada edição. Além da equipe central, em 2018 vem sendo estabelecidos grupos de diversas regiões do Brasil. Nesta edição, 24 pessoas participaram durante a primeira etapa, como curadorias regionais seguindo as diretrizes do PGM, com a importante função seletiva inicial das indicações. Entre os participantes estão artistas, produtores, produtoras e jornalistas com perfil engajado com arte e a canção brasileira. O desenvolvimento deste processo é constante, a ideia é que o PGM possa ter representantes na maior parte do Brasil. O plano para 2019 é as curadorias regionais estarem plenamente estabelecidas e ainda mais ativas.

Lista dos premiados.

Arraial do Pavulagem (PA)
Caio Padilha (RN)
Carlos Badia (RS)
Carlos Zens (RN)
Celia e Celma (MG)
Chico Aafa (GO)
Clarisse Grova (RJ)
Karynna Spinelli (PE) 
Lysia Condé (MG)
Maria Juliana (PB)  
Oneide Bastos (AP)
Patricia Polayne (SE)
Sérgio Pererê (MG)
Solange Leal (PI)
Verônica Ferriani (SP)

De grão em grão, o Prêmio Grão de Música amplia o olhar para visualizar um mapa o mais real possível da música do país; e se compromete a um significativo garimpo sonoro.

CD - Coletânea GRÃO DE MÚSICA 2018 - Ouça aqui!

01. Colóquio - Chico Aafa (de Altair Andrade e Chico Aafa) 
02. Maré Alta -  Maria Juliana (de Michel Costa e André Morais) 
03. Ciranda do Sossego/incidental 5a  Sinfônia (Carlos Zens/ Ludwig  van Beethoven/Domínio Público) 04. Revoada - Caio Padilha (de Almir Padilha)
05. Flor da Ausência - Oneide Bastos  (de Paulinho Bastos e Leandro Dias)
06. Canoinha - Arraial do Pavulagem (de Ronaldo Silva)
07. Arrastada - Patricia Polayne (de Patricia Polayne)
08. Imagem e Diferença - Clarisse Grova (de Clarisse Grova e Leo Nogueira)
09. Amigos - Carlos Badia (de Carlos Badia) 
10. Pobrezinho - Solange Leal (de Naeno)
11. Ana Bandolim - Lysia Condé (de Tico da Costa)  
12. Dança a Menina - Verônica Ferriani (de Verônica Ferriani) 
13. Vento e Chama - Sérgio Pererê (de Sérgio Pererê)  
14. Quatro Cantos - Karynaa Spinelli (de Karynna Spinelli)
15. Cana Verde -  Celia e Celma (Domínio Público)

* Entre parênteses estão considerados os autores da composição.

Comentários