Nutricionistas da UFPE elaboram cartilha para melhorar a imunidade

Imagem de Aline Ponce por Pixabay

Como a alimentação pode melhorar a imunidade? É o que busca responder uma cartilha elaborada pelo Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com dicas para uma alimentação saudável durante a quarentena. Elaborado pela nutricionista Lizelda Araújo e pelas professoras Paloma Antonino, Conceição Chaves e Silvana Salgado, o material busca deixar claro que dietas milagrosas e alimentos superpoderosos não têm vez em uma alimentação saudável.

“O sistema imunológico envolve reações e etapas complexas, em prol do combate a agentes estranhos que tentam invadir o nosso corpo. Então, não é um alimento isolado ou um suplemento específico que, sozinhos, possuem a capacidade de potencializar a nossa imunidade”, explicam as autoras. “Muitos fatores externos podem influenciar a imunidade e a saúde como um todo: má alimentação, estresse, privação de sono, má digestão e absorção de nutrientes, sedentarismo, entre outros”, complementam.


Elas lembram que é necessário ter hábitos saudáveis não apenas durante a pandemia da Covid-19, mas sempre, para melhoria da qualidade de vida. Com base no Guia Alimentar para a População Brasileira, documento do Ministério da Saúde, as autoras propõem uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados. Recomenda evite alimentos ultraprocessados, que são aqueles que sofrem muitas alterações em seu preparo e contêm ingredientes que se não conhece.

A dica de escolher boas fontes de proteínas e carboidratos não esquece os vegetarianos. “Os vegetarianos/veganos podem investir nas leguminosas, como feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico, soja, mas sem esquecer de associar ao consumo de cereais como arroz, aveia, cuscuz. Juntos, o cereal com a leguminosa formam o que chamamos de uma combinação proteica completa, que fornece ao organismo todos os aminoácidos essenciais”, esclarecem. Hidratação, sono, sol e atividade física também são destacados.

Informações da Ascom UFPE

Comentários