Coronavírus provoca morte do músico camaronês Manu Dibango

Morte foi anunciada no Facebook do artista. Foto: Sia Kambou/AFP

Nascido na cidade de Duala, em 1933, ele teve música incluída aem novela da Globo. Tocou, inspirou e influenciou artistas como Chico Science, Kool and The Gang, Michael Jackson, Peter Gabriel e Youssou N'Dour

Influência e inspiração para artistas como Chico Science, Kool And the Gang e Michael Jackson, o saxofonista camaranês Manu Dibango faleceu na manhã desta terça (24), aos 86 anos, vítima covid-19 - doença provocada pelo novo coronavírus. A estrela do afro jazz, também apelidado de "Papy Groove", teve a morte anunciada em sua página oficial no Facebook.

Dibango ganhou projeção internacional, em 1972, com o lançamento do single "Soul makossa". A música fez parte da trilha sonora internacional da novela "Carinhoso" (1973), da Rede Globo, a qual também contou com a presença de Elton John ("Skyline pegeon") e do citado Jackson ("Music and me"). 

Comunicado oficial da morte de Dibango


Chico Science & Nação Zumbi celebraram o artista nascido em Duala, em 1933, em Duala, maior cidade da República dos Camarões, com "Samba makossa". A música foi lançada no álbum de estreia da banda pernambucana, "Da lama ao caos", e conta inclusive com samplers de "Soul makossa". 

Samplers de Dibango também podem ser ouvidos em músicas de Rihanna, Jay-Z, Eminem, Jennifer Lopez, Akon, Will Smith, Kanye West, Fugees, Wyclef Jean, entre outros.


Em 2010, Manu Dibango foi concecorado pelo governo francês com o título de Cavaleiro da Legião de Honra. Além da carreira solo - repleta de toques de reggae, jazz, afrobeat, funk e psicodelia -, ele gravou com Eliades Ochoa, com Youssou N'Dour, Peter Gabriel, Ladysmith Black. O último trabalho fonográfico de estúdio dele é o álbum "Balade en saxo", de 2013.




Ouça o álbum "Soul makossa" na íntegra

Comentários