Natal do Porta dos Fundos: blasfêmia é crime?

Reprodução frame Porta dos Fundos


O lançamento do "Especial de Natal Porta dos Fundos 2019: A Primeira Tentação de Cristo" tem causado revolta entre parte de pessoas que se dizem cristãs. Houve lançamento de abaixo-assinado contra o filme, exibido na Netflix, protestos e até ameaças publicadas nas redes sociais, direcionadas ao grupo humorístico.

O advogado criminalista Tulio Vianna, também professor de Direito Penal da Faculdade de Direito da UFMG, criticou em sua página oficial no Facebook, as manifestações dos religiosos e publicou vídeo no qual explica o porquê de a blasfêmia ser um direito no Brasil

MAIS

Blasfêmia na música: e se fizessem exposições com capas de discos de heavy metal?

Trailer do Especial de Natal do Porta dos Fundos


Leia o texto de Tulio Vianna

Toda esta polêmica sobre o especial de Natal do Porta dos Fundos na Netflix só demonstra que os cristãos brasileiros estão cada vez mais próximos do fundamentalismo islâmico em hábitos e costumes.

Desenhar Maomé não é crime em um Estado democrático e laico. Zoar Jesus Cristo também não. Ninguém é obrigado a respeitar as crenças dos coleguinhas. Somos livres para zoar a astrologia, o tarot, a quiromancia, a homeopatia e o cristianismo. Simples assim. E se não fosse assim, os evangélicos não poderiam sequer criticar o candomblé ou a umbanda, o que parece ser o esporte preferido de muitos deles.

O que os cristãos que se indignaram com o especial de Natal parecem querer é o retorno do crime de "blasfêmia" ao ordenamento jurídico. Vão pedir também a volta das fogueiras?

Neste vídeo explico em detalhes o porquê de ser inconcebível a criminalização da blasfêmia nos dias de hoje. Beijos pra quem vai queimar na fogueira do fogo eterno!

Assista ao vídeo






Comentários

  1. Segundo a bíblia, blasfêmia não é crime. Segundo a bíblia blasfêmia é condenação eterna, muito pior que crime.

    ResponderExcluir
  2. Cristão não podem nem dizer que praticar a homosexualidade é pecado que já estão querendo nos prender (isso não seria liberdade religiosa" liberdade de expressão"?). Não pode dizer que é errado, baseado no cristianismo, que sofremos processo. Agora colocar Jesus como gay, pode! E tá tudo certo! ahh, vão catar coquinho...Querem liberdade demais, desde que não mecha no queijo de vocês. Dois pesos, duas medidas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá! Comentários com xingamentos não serão aceitos.