Cine Jacaré, no Recife, exibe filmes e realiza feira criativa

Programação é gratuita. Foto: Bianca Pimentel


Por Bianca Pimentel

Evento ocorre neste domingo (15) e tem programação conta com filmes para os públicos adulto e infantil.

Chegando em sua quarta edição, o Cine Jacaré realiza uma programação ampliada durante o domingo (15/12). Neste fim de ano, o cineclube projeta filmes para crianças e adultos, promove discotecagem e feirinha criativa com venda de roupas, brinquedos e jogos educativos, discos, produtos sustentáveis, artesanatos e comidas. O evento acontece, a partir das 15h, no jardim da casa-ateliê do artista plástico Jacaré, no bairro de Campo Grande (Rua Hamilton Ribeiro, 211), Zona Norte do Recife. A entrada custa R$ 5,00.

O Cine Jacaré é um cineclube que promove a exibição e debates em torno de filmes que não conseguiram espaço no circuito comercial e nos principais festivais de cinema. Nesta edição, a curadora Caroline Oliveira selecionou dois filmes de realizadoras mulheres. Na sessão infantil, o Cine Jacarezinho, às 17h, será exibida a premiada animação "Dia Estrelado", da alagoana Nara Normande. Na animação em stop motion, um menino e sua família lutam pela sobrevivência, em um lugar inóspito. Em seguida, a sessão para o público adulto apresenta o filme "A mulher que amou o vento", da mineira Ana Moravi. Na ficção, uma mulher vive solitária no alto de uma montanha, onde se envolve intimamente com o vento. Após a exibição, a diretora Ana Moravi conversa com o público sobre o filme.

"Decidimos fazer esta edição festiva com nomes femininos para celebrar o fechamento do ano com o simbolismo da força cíclica, típica das mulheres. Os dois filmes também já criam, a partir do título, relação imediata com elementos da natureza, sendo um chamado a nossa capacidade sensivelmente latente de empatia e contemplação. É uma forma de encerrarmos o ano na contramão do foco excessivo na política e economia que nos intoxicaram esse ano no país", explica a curadora. Para encerrar a noite, o ateliê do artista Jacaré se transforma em pista de dança. A artista, produtora cultural e jornalista Aline Feitosa será a DJ da noite. 

FEIRA CRIATIVA - Antes dos filmes, a partir das 15h, a casa-ateliê abre as portas e estreia uma feirinha criativa com venda de artesanatos afetivos do artista frenético @hamsa_dasa; roupas originais da India, com @anna.indi; um bazar com roupas e assessórios do Bazar @ficandomara; La Ursas e jarros de cerâmica do @pequeno.atelie; brinquedos e jogos educativos do @arte_de_brincar_com_madeira; camisas autorais com telas de artistas plásticos pernambucanos do Mago das Camisas; produtos sustentáveis da @ecoeeustentabilidade; Tabacaria @splintersmoke_h; comidas veganas da @cigana_damata e lanche veganos da @lariclara. 

Sobre o Cine Jacaré

O Cine Jacaré pretende difundir obras que contemplam um olhar afetivo sobre o mundo e a cultura da sustentabilidade – dispositivo artístico e de vida de Jacaré, que há mais de trinta anos atua na ressignificação do lixo no Recife. A ideia é apresentar filmes que dialoguem com questões contemporâneas urgentes, tangenciando temáticas existenciais; sociais; políticas; feministas; de gênero, raça e identidade; de meio ambiente; entre outras. Após as sessões, há uma conversa com representantes do filme, com o intuito de "reciclar" o olhar crítico. Uma experiência diferenciada, num espaço coletivo e acolhedor que convida todas e todos a assistirem e conversarem sobre filmes numa ação de reconhecimento e não de "julgamento" estético em si, é uma forma de "reaproveitar", "ressignificar" e "resistir" na pluralidade artístico-funcional deste espaço. 

Sobre o artista Jacaré 

"Jacaré" é o apelido do artista plástico recifense Ermiro de Souza Lima que, há mais de trinta anos, vem ressignificando o "lixo" e fazendo arte. Sua arte expressa sua criatividade e dialoga com todos os públicos, promovendo importante reflexão sobre o que consumimos e a nossa relação com o lixo. Jacaré é, antes de tudo, um catador. Tipo de pessoa que não pode ver uma garrafa indo parar na lixeira, um móvel sendo largado numa esquina, uma lata sendo desprezada após o seu uso. Ele enxerga personagens e mil possibilidades de reaproveitar tudo com arte. Seu estilo passeia livremente entre a essência da arte Naif e a vibração psicodélica. Contudo, Jacaré se autodeclara: um artista a serviço do planeta. 

Sua técnica aproveita um pouco de tudo que aprendeu criando decoração de festas, cenários para shows e espetáculos teatrais, e joalheria. Seu contato incessante com a arte e a natureza o ajuda a formar pensamentos críticos e a compartilhar ações para solucionar problemas como o descarte correto do lixo e a possibilidade de transformá-lo em arte. 

O artista Jacaré já ministrou mais de 50 oficinas de arte-reciclagem. Como educador social, promove vivências ecopedagógicas compartilhando técnicas e dicas sobre reciclagem e preservação do meio ambiente. Em 2019, o artista restaurou uma antiga obra de arte, encomendada pelo Shopping Recife nos anos 90, o Caboclo de Lança, que faz parte do Parque das Esculturas do local. Recentemente Jacaré teve projeto aprovado no edital de Incentivo à Cultura do Estado de Pernambuco, o Funcultura, e se prepara para uma série de atividades artísticas e formativas para 2020. O projeto consiste na manutenção do ateliê, com uma programação mensal, gratuita, com atividades artísticas e pedagógicas, com apoio de uma equipe multidisciplinar e conectada com a arte o meio ambiente. 

SERVIÇO

Cine Jacaré

Data: 15/12 (domingo)
Horário: das 15h às 00h
Local: Rua Hamilton Ribeiro, 211, Campo Grande (novo ateliê)
Entrada: R$ 5,00

*OBS. O espaço tem conceito LIXO ZERO e não fornece descartáveis em seus eventos.  Pede-se que cada um leve o seu copo ou adquira um Eco Copo personalizado, que estará a venda no local (R$ 5,00)  e servirá para o uso neste e em outros eventos. 


PROGRAMAÇÃO 

15h - EXPOSIÇÃO + FEIRINHA CRIATIVA (15H ÀS 22H)
17h - CINE JACAREZINHO: DIA ESTRELADO, DE NARA NORMANDE
18h - CINE JACARÉ: A MULHER QUE AMOU O VENTO, DE ANA MORAVI
20h - DJ NO ATELIÊ: ALINE FEITOSA

Comentários