Marília Parente celebra mulheres nordestinas no Terra Café


A cantora e compositora Marília Parente. Foto: Divulgação

No mês da mulher, cantora e compositora fará show único mesclando repertório autoral, participações de novas compositoras do estado e canções (re)criadas por artistas como Cátia de França, Elba Ramalho e Anastácia

Uma celebração da força da mulher nordestina (re)criadora. Esse é o mote do show da cantora e compositora pernambucana Marília Parente, intitulado “Mulheres do Nordeste”, que será apresentado na noite da próxima sexta (22), no Terra Café, no Centro do Recife. Com participações confirmadas de Laís de Assis, Sam Silva e Nivea Maria, a artista vai comemorar o mês da mulher mesclando suas composições à obra de Teti, Elba Ramalho, Anastácia e Cátia de França, acompanhada pelas guitarras de Juvenil Silva e o baixo de Diego Gonzaga (Verdes & Valterianos).

“A gente sabe que todo mês e dia é da mulher, mas essas datas sensibilizam as pessoas para nossas produções em todas as áreas. Na música nordestina, nomes como Teti, Cátia de França, Elba Ramalho, Anastácia e Marinês são grandes influências para mim, mas ainda um pouco desconhecidas por parte do público”, comenta Marília, que está prestes a lançar seu primeiro disco composto exclusivamente por canções de sua autoria. Além de homenagear outras mulheres, o espaço também será aberto para a produção autoral das convidadas. “Por questões de agenda, outras artistas não puderam confirmar presença, mas elas sabem que esse palco é nosso e está aberto às canjas”, adianta.

O show trará canções como “Beco da Noite”, do disco Chão Sagrado, de Rodger Rogério e Teti, e “Coito das Araras”, de Cátia de França. A apresentação está marcada para começar às 21h e os ingressos custam R$ 15 e podem ser adquiridos na bilheteria.

Serviço// Marília Parente: Mulheres do Nordeste
Local: Terra Café Bar ( Rua Monte Castelo, 102, Boa Vista)
Dia: Sexta (22/03)
Hora: 21h
Ingressos: R$ 15

Sobre Marília Parente

Marília Parente nasceu no Recife, no dia 13 de julho de 1994, mas mudou-se ainda na infância para a cidade de Exu-PE, terra natal de Luiz Gonzaga. Lá, absorveu as influências do baião, das cantadeiras e dos aboios dos vaqueiros. No Recife, foi finalista do Prêmio da Música Pernambucana com o coco Raízes do Capibaribe. A compositora e cantora grava seu primeiro disco, com previsão de lançamento para 2019. O trabalho transita entre as músicas nordestina e o oriental e o rock psicodélico. Ela também grava o EP da Avoada, projeto de composição em parceria com Juvenil Silva, Feiticeiro Julião e Marcelo Cavalcante.

Comentários