Lendas do afrobeat, britpop e punk rock formam o The Good, The Bad and The Queen

The Good, The Bad and The Queen. Foto: Reprodução

Por AD Luna
ad.luna@gmail.com

Quem diria que um dia representantes do britpop, do punk rock e do afrobeat estariam juntos numa mesma banda. Pois essa reunião aconteceu, em 2006, e ela se chama The Good, The Bad and The Queen, novo projeto comandado pelo inquieto Damon Albarn, também líder do Blur e Gorillaz.

Além de Albarn, tocam no grupo Paul Simonon, baixista do The Clash; Simon Tang, guitarrista do The Verve e o veterano baterista nigeriano Tony Allen. Para quem não está inteirado sobre o universo da música NÃO anglo-saxônica pop ou, simplificando, world music, Allen tocou na banda do lendário cantor e compositor Fela Kuti, o pai do afrobeat.

Ouça o álbum de estreia do The Good, The Bad and The Queen 


O afrobeat é uma combinação do jazz e funk americanos com ritmos e vocalizações africanas. Fala-se que uma das motivações que levaram Fela a criar o estilo foi a invasão da música britânica em terras nigerianas, nos anos 1960 e 1970. Verdade ou não, o seu baterista preferido faz o caminho inverso e troca informações sonoras com os britânicos.

Ouça álbum "Homecooking", de Tony Allen, lançado em 2002. A música que abre o disco conta com a participação de Damon Albarn.


O show de estréia do The Good, The Bad and The Queen aconteceu no dia 12 de dezembro do ano passado, no Wilton´s Music Hall, em Londres.

Segundo disco do The Good, The Bad and The Queen

"Merri land" foi lançado no dia 16 de novembro de 2018, com produção de Tony Visconti.



Comentários