Textos de Stan Lee sobre racismo e temas sociais viralizam

Stan Lee e o Homem-Aranha

Por AD Luna
ad.luna@gmail.com

Criador e co-criador de personagens como Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, Surfista Prateado, Thor, Pantera Negra, Hulk, Homem de Ferro, Capitão América, entre outros, os quais encantaram e continuam a encantar milhões de pessoas em todo mundo, Stan Lee nos deixou nesta segunda (12), aos 95 anos.

A atuação desse senhor quase centenário também contribuiu, em boa medida, com a formação moral e ética de muita gente que acompanha histórias em quadrinhos, desenhos animados e filmes desses novos deuses modernos.

Não a toa, dois textos de Lee, escritos em 1968, estão viralizando mundo afora, depois de sua morte. A repercussão foi desencadeada pela jornalista Jen Yamato, do Los Angeles Times, que usou o Twitter para compartilhar conteúdos retirados da coluna "Stan´s Sopabox", que era publicada em revistas da Marvel naquele tempo.

O primeiro texto trata de racismo e a outro sobre temas sociais. Seguem as duas.


STAN LEE E O RACISMO

"Vamos esclarecer as coisas. Intolerância e racismo estão hoje entre as doenças sociais mais mortais do mundo. Mas, diferente de um time de super-vilões de uniforme, eles não podem ser parados com um soco no nariz, ou com o raio de uma arma a laser. O único jeito de destruí-los é expondo-os – revelando-os como males traiçoeiros que são. O intolerante é um odiador irracional – alguém que odeia cegamente, fanaticamente, indiscriminadamente. 

Se seu problema são homens negros, ele odeia todos os homens negros. Se um ruivo alguma vez o ofendeu, ele odeia todos os ruivos. Se um imigrante conquistou sua vaga de emprego, ele se chateia com todos os imigrantes. Ele odeia pessoas que ele nunca viu – pessoas que ele nunca conheceu – com a mesma intensidade – com o mesmo veneno.

Agora, nós não estamos tentando dizer que é irracional um ser humano se aborrecer com outro. Embora todos tenham o direito de antipatizar por qualquer indivíduo, é completamente irracional, evidentemente insano condenar uma raça inteira – odiar uma nação inteira – caluniar uma religião inteira. 

Mais cedo ou mais tarde, nós devemos aprender a julgarmos uns aos outros através de nossos próprios méritos. Mais cedo ou mais tarde, se o homem sequer for digno de seu destino, nós devemos preencher nossos corações com tolerância. Para então, e só então, sermos dignos do conceito de que o homem foi criado à imagem de Deus - um Deus que chama a todos nós – seus filhos."

Paz e Justiça, Stan".


STAN LEE E TEMAS SOCIAIS

"De tempos em tempos, recebemos cartas de leitores que nos perguntam por que nossas revistas têm que ser tão moralizantes. Eles sempre dizem que os quadrinhos deveriam ser diversão escapista, e nada além disso.

De alguma forma, eu não consigo ver as coisas desse jeito. Para mim, uma história sem mensagem, mesmo que subliminar, é como um homem sem alma. De fato, até a literatura mais escapista de todas, os contos de fada e lendas heroicas, tinham um ponto de vista moral e filosófico.

Em todos os campi de universidade onde vou discursar, sempre há tanta discussão sobre guerra e paz, sobre direitos civis, sobre a chamada rebelião jovem, quanto há nas nossas revistas. Nenhum de nós vive em um vácuo. Nenhum de nós não é tocado pelos eventos do dia a dia.

Estes eventos moldam as nossas histórias e a nós mesmos. É claro que nossas histórias podem ser escapistas, mas só porque algo é divertido não significa que precisamos desligar o cérebro enquanto lemos".

Aparições de Stan Lee em filmes com personagens da Marvel

Comentários

  1. Depois de tantas coisas ruins que a maioria de nós passamos e vimos em 2018. Vejo essas palavras do Sr. Stan Lee ecoarem na terra,como uma força maior do que todos os seus heróis já produziram em nossos corações. Obrigado!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá! Comentários com xingamentos não serão aceitos.