Braba Festival celebra colaboração cultural no Recife

Mondo Bizarro é uma das atrações do Braba Festival. Foto: Divulgação

Valorizar a produção artística local, integrando músicos e artistas visuais. Essa é a proposta centrarl do Braba Festival, que acontece neste domingo (29), às 15h, no Estelita Bar, zona sul do Recife. O evento conta com sete bandas para dar uma agitada no domingo. Mondo Bizarro, Pupila Nervosa, Ruína, Baladas, Transylvania e Stick Riot, além da alagoana Desabar que completa a grade musical com um som que vem de fora de Pernambuco.

O BRABA também apresenta uma feirinha com produções autorais e contará com a presença de obras da Imarginal, marca do artista Fernando Chavez, além da exibição de obras do artista, ilustrador e tatuador pernambucano Mavik, do Studio Box da Mata.

A intenção da Almagesto produções e da Súbita Records com o BRABA festival é fazer uma festa que celebre acima de tudo a colaboração independente, onde o que importa é a vontade de se expressar e repassar sua mensagem, sempre de forma consciente. Para acesso a mais informações do festival, basta curtir o evento no facebook e também seguir o perfil do BRABA no instagram.

Os ingressos estão sendo vendidos pelo site SYMPLA no valor de R$ 15,00 e também serão disponibilizados para a venda na hora, com o mesmo valor.

Conheça o que vai rolar no evento:

Ruína

Ruína é uma banda de crusted hardcore da capital. Com a proposta de unir elementos de diferentes gêneros da música torta, o grupo formado em julho de 2017 consegue flutuar por diversas referências, indo do sludge ao crust, do thrashcore ao doom.

Autofagia, o EP de estreia do quarteto, produzido por Mathias Severien (Estúdio Pólvora/Desalma) sintetiza o peso e o caos do som criado pelos pernambucanos ao longo desses meses de existência.

Baladas

O Baladas é uma banda de Rock Jovem de Recife, formada em 2017 por Gabriel da Silva, Rodrigo, Mateus Pinto "Pintop" e Douglas Layme. Começando 2018 com uma nova formação, Mateus Lopes assume o manto dos efeitos especiais e teclado enquanto Douglas inicia sua jornada espiritual/artística em São Paulo.

Marcando presença em eventos underground de Recife, Baladas atualmente rabisca seu disco de estreia, MICHAEL BAY, com inspirações que vão do indie rock noventista de bandas como Pavement, Weezer e Dinosaur Jr., passeano pelo garage rock / surf punk de bandas mais modernas, como o Wavves e a FIDLAR, com fortes elementos do emo, como Polara e Amandinho, não esquecendo aquele pedaço meio Charlie Brown Jr. e seus hinos sobre a adolescência revoltz.

Desabar

A Desabar é uma banda maceioense de rock formada em 2017, assistindo da primeira fila a derrocada da democracia brasileira, da internet e das certezas e garantias que pareciam estar logo ali depois da próxima esquina, foco do seu primeiro disco. Soando como um encontro da sonoridade grunge com tudo o que aconteceu no alternativo depois dele, a banda se encontra em diversos bons momentos durante o disco, produzido pela Transtorninho Records, tanto em texturas mais melódicas, remetendo às bandas mais novas do emo, quanto em climas mais pesados, que vão do pós punk ao black metal sem muita dificuldade. Essa veia assumidamente dark da Desabar é nitidamente uma das grandes forças da banda, seja através do instrumental que cria paisagens sonoras densas, seja através do vocal versátil que dá o tom emocional preciso.


Transylvania

A Transylvania iniciou suas atividades no ano de 2012, quando os amigos Tiago Xaves e Caio Rodrigues resolveram tocar os clássicos do rock/metal que cresceram ouvindo. As influências vão do Metallica,Black, passeando pelo som do Label Society, chegando até Ozzy Osbourne. A banda vem ganhando cada vez mais fãs e espaço no circuito de Recife/PE e em festivais de música independente. Desde 2017 traz sua nova formação, contando com os músicos Adilson Santos (baixo) e Ivo Lage (bateria). Na cozinha, a banda se prepara para entrar em estúdio e gravar seu primeiro Full Album.

Sticky Riot

A Sticky Riot é uma banda de Hard Rock envolvente, levemente delinquente, da famigerada cidade de Recife. Desde 2014 vem corrompendo a juventude com o ritmo instigante do roque oitentista mesclado com suaves pitadas de um Heavy Metal suavemente ensurdecedor, ideal para agradar desde jovens autodestrutivos a idosos com espirito jovem e roqueiro. A banda estreia no Braba Festival sua novíssima formação, com membros ainda mais barulhentos e inconsequentes a banda irá tocar as músicas do EP com uma roupagem ainda mais escabrosa e também deliciosa.

Mondo Bizarro

Banda mais veterana que chega pra tocar no BRABA, a Mondo Bizarro foi formada em 2012 por Júnior Supertramp (Guitarra/Voz), Francisco Olay (Baixo) e Raphael Dantas (Bateria). O trio, conhecido pela energia de suas performances ao vivo, já conquistou um certo espaço na cena de Rock da cidade. Na sua música, riffs de guitarra repletos de power chords e uma cozinha extremamente grave e distorcida, servem de cama para melodias contagiantes e letras cantadas em inglês, que claramente remetem às suas influências Grunge e Stoner Rock. A banda traz um currículo extenso de apresentações dentro e fora de Pernambuco; Em 2016, com o lançamento do seu primeiro disco “full” chamado “Too Lound is not Enough” saiu em turnê pelo Sul e Sudeste do país, tendo tocado ainda em importantes festivais da cena do rock independente como o Zefirina Bomba (PB), Olho Seco (SP), Projeto Trator (SP), Mad Grinder (RN), Project 46 (SP).

Pupila Nervosa

A Pupila Nervosa é fruto de inquietações, experimentos e experiências das mais variadas fontes. Sendo a pupila parte essencial de nossa visão, e com os nervos sempre a flor da pele, a banda busca em seu som instrumental, do Rock ao Baião, o poder da palavra, do discurso e claro do improviso. Formada entre 2015 e 2016, ano em que a banda se firmou e resolveu começar a circular e inserir-se na cena local, desde lá vem construindo seu público pelos cantos de Recife e Olinda. A Formação da Pupila Nervosa é composta por Márcio Torres (Baixo/Synth), Ciro Gonçalves (Guitarra), Igor Burgos (Cavaquinho/ Teclado), Vinicius Melo (Percussão) e Saw Lima (Bateria). em 2017 a banda lançou seu primeiro single "Talos e Sementes" e encontra-se na pré-produção de seu primeiro disco autointitulado.


Mavik

O artista de 28 anos Mavik é ilustrador e tatuador, e se dedica aos seus clientes no Box da Mata, Studio que construiu com o intuito de vivenciar e se utilizar da harmonia que traz um ambiente em contato com a natureza; despertando um sentimento de confiança e tranquilidade fundamentais para quem deseja uma tatuagem. Nesse clima suave, Mavik vem aperfeiçoando seu trabalho e ganhando admiradores; sua valorização pelo trabalho individual, com a proposta de uma arte autoral e única para cada pele trabalhada, o artista conquistou uma posição de respeito com o seu atendimento diferenciado.

Imarginal

Imarginal é o projeto de Fernando Moraes e Raone Ferreira, dois estudantes de design gráfico de Recife. Segundo os artistas, os trabalhos investem no tom crítico, pesando contra o sistema da Igreja e da religião e contra a política norte-americana, culpada por construir um sonho falso. Como influências, eles gostam de ouvir muita música, estilos que vão desde o afrobeat e rap, passando pelo hardcore até o jazz. No mundo da arte gráfica, o artista Geoff Darrow serve como referência.

SERVIÇO:
BRABA FESTIVAL
Domingo, 29 às 15h
Com Mondo Bizarro, Pupila Nervosa, Ruína, Baladas, Transylvania, Stick Riot, Desabar, Mavik, Imarginal.

Estelita Bar (Av. Aaturnino de Brito, 385)
Ingressos: R$ 15. Vendas online: https://goo.gl/yoKt46  e venda no local.
Mais informações nas redes sociais do evento:
Instagram: @brabafest

Comentários