CFCH recebe aula-protesto contra violência transfóbica ocorrida na sexta-feira (23)




Por Ascom UFPE

“Somos todxas Dália - quem a transfobia quase matou” é o tema da aula-protesto a ser realizada às 14h de hoje (26), no hall do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), no Campus Recife da UFPE. O evento tem o objetivo de denunciar a violência transfóbica sofrida pela estudante Dália Celeste Hortense da Costa, do Vestibular Solidário, cursinho preparatório para o Enem, na última sexta-feira (23), e pensar a segurança das pessoas transexuais e travestis na UFPE. A aula-protesto é aberta ao público.

Promovida pelo Vestibular Solidário e movimentos sociais, em parceria com a Diretoria LGBT da Universidade, a aula-protesto irá contar com uma mesa de debate formada por Geovana Borges, representando a Diretoria LGBT; Henrique Costa, ex-aluno da Universidade, representando o Vestibular Solidário; e Gi Carvalho, representante da ONG Mães pela Diversidade. 


“A importância de um evento como este é imensurável. É inadmissível qualquer tipo de violência transfóbica, ainda mais uma dessa gravidade, e que aconteceu  dentro de uma universidade que tem uma política LGBT, após um evento de afirmação das várias manifestações culturais desta população. A UFPE não tolera qualquer tipo de discriminação e violência contra a população LGBT, em especial as pessoas trans e as travestis. A diretoria está trabalhando incansavelmente, em parceria com a Superintendência de Segurança Institucional (SSI), para a identificação e punição dos agressores. Não descansaremos enquanto o caso não for resolvido”, afirmou a diretora da Diretoria LGBT da UFPE, Luciana Vieira.


CASO – A estudante Dália Costa denunciou a agressão realizada por dois homens na noite da última sexta-feira (23), quando saía de um evento de incentivo às manifestações artísticas e culturais promovidas pelas pessoas LGBTs da UFPE, em frente ao Centro de Educação (CE), no Campus Recife da Universidade. A estudante foi fisicamente agredida quando voltava para casa, a caminho da parada de ônibus.

Comentários