Músicos realizam nova edição do Fica em Casa - Caruaru

A banda Rasga Mortalha é uma das atrações do festival. Foto: 

Em ritmo de “virada cultural”, organizadores esperam ajudar artistas e profissionais da música

Pioneiro no município pernambucano, o festival de lives Fica em Casa - Caruaru, idealizado durante o período da pandemia, volta com todo o vapor para uma segunda edição: transmitido no Instagram do Festival (@festivalficaemcasacaruaru), nesta quinta (25), o evento virtual contará com 12 artistas + convidados e também um sorteio e algumas surpresas. Um dos objetivos é o de ajudar artistas, profissionais e empresas locais através de uma conta corrente divulgada nas redes sociais do Festival. 

“Decidimos fazer uma grande festa, de um dia de só, lembrando uma virada cultural. Nessa segunda edição, estamos recebendo contribuições do público para ajudar os artistas que estão precisando nesse momento difícil”, afirma Igor Santos, músico, produtor e idealizador do festival.

Começando a partir das 18h, com uma programação ininterrupta entre apresentações, a iniciativa de fazer uma segunda edição também parte da vontade da cena musical da cidade - que conta com nomes e trabalhos como Rasga Mortalha, Banda do Carmo, Bia Mota e Valdir Santos - de não deixar a época de São João passar em branco e ao mesmo tempo mostrar que continua pensando formas de se conectar com o público e com apreciadores.



“Tudo é decidido de forma muito democrática entre os participantes e quem curte a filosofia do festival. Há ideias, para depois que o momento passar, de formar um coletivo e se pensar iniciativas para engajar ainda mais a produção cultural na cidade, de forma autônoma, independente e que privilegie os artistas, ou como Valdir Santos fala, ‘os operários da música’”, pontua o cantor e compositor Luiz Ribeiro, um dos organizadores e músico da banda Rasga Mortalha.

Para curtir o festival, é só acessar a conta do evento no Instagram. Para contribuir com todos os artistas e profissionais do ramo, é só transferir ou depositar na conta:

Nubank
Nome: Igor M B S Motta
Agência: 0001
Conta: 80919276-8
CPF: 114.208.524-42

Serviço:
Festival Fica em Casa, Caruaru - 2° Edição
Instagram: instagram.com/festivalficaemcasacaruaru/
Data: 25/06/2020
Horário: a partir das 18h

Programação:

18h - Valdir Santos
18h30 - Rasga Mortalha
19h - Bia Mota
19h30 - 70MG
20h - Murilo Carmo
20h30 - Luan Nascimento
21h - Vimana
21h30 - Midnight Booze X
22h - Gael
22h30 - Banda do Carmo
23h - Ferraz
23h30 - Fever trio

Confira a bio de alguns artistas

Bia Mota
"Se reinventar é nadar contra a maré da qual eu dou o nome de DESCOMPASSO", é como a caruaruense Bianca Mota descreve o seu primeiro projeto autoral que busca, por meio de suas canções, mostrar a positividade de reinventar-se, descobrir-se e libertar-se das caixas que rotulam e estruturam a sociedade. Seu primeiro single “Do Jeito Que For” está disponível nas principais plataformas de streaming.

Valdir Santos
Músico, compositor, cantor, produtor e musicoterapeuta Valdir dos Santos Pereira, o Valdir Santos, nasceu no dia 17 de outubro de 1970, em Caruaru-PE. Começou a tocar profissionalmente em 1989. Seu primeiro CD “Menino de barro” foi lançado em 1999. No ano 2000 lançou o segundo disco, “É Bafunga” e em 2001 o terceiro, “Coisas da terra”.

Banda do Carmo
O projeto Do Carmo, iniciou em meados de 2018, como resultado da busca por algo novo e com identidade. Algo que pudesse remeter ao som moderno e contemporâneo mas com referências locais que sejam perceptíveis em quaisquer visões.

Rasga Mortalha
Oriunda de Caruaru – PE, a banda Rasga Mortalha vem se destacando no cenário autoral desde 2015, quando ainda era um trio de cordas e batuques. Com inúmeras influências que vão do hardcore ao samba, do tropicalismo à música psicodélica, a Rasga Mortalha propõe o termo de “música híbrida”, um discurso que vai da sonoridade até a performance de palco. Lança em 2020 seu primeiro álbum, “Híbrido”, disponível em todas as plataformas digitais.

70mg
Formada no início de 2015, a banda traz em suas composições questões sociopolíticas, temas que discutem consciência ambiental e respeito à natureza, e também indagações existenciais que despertam a reflexão e a criticidade. O poderoso trio de guitarra, contrabaixo e bateria é acrescido de belas e marcantes melodias de pífano e flauta somadas com a harmonia mântrica e os fortes ponteios da viola nordestina que por fim são embalados por uma percussão rítmica munida de incontáveis elementos da musicalidade e cultura local.

Murilo Carmo
Iniciou sua carreira solo como cantor em 2004, focado em explorar um repertório de canções autorais que fariam parte do show “Fora de Órbita” que aconteceria no ano seguinte. No cerne de suas canções permeia sonoridades e elementos advindos de várias vertentes da música mundial, buscando uma síntese universal sem abrir mão da essência da música brasileira. Em suas letras encontram-se as pontes e as ilhas advindas dos conflitos existenciais do homem contemporâneo, a relação com a vida e com o tempo, o ato de existir e resistir a existência.

Vimana
A Vimana é uma banda que surgiu nas terras Caruaruenses no ano de 2014, a partir de reuniões entre amigos começaram a produzir as primeiras composições. Nessa viagem estão juntos sete integrantes que vêm trabalhando na construção de um som independente e autoral, influenciados nos ritmos e sons regionais do nordeste, misturado ao rock.

Midnight Booze Express
Dia após dia escrevendo músicas sobre experiências de jovens vidas cheias de erros. Contando histórias reais sobre coisas vistas no dia a dia, coisas que pedem uma bebida pra poder digerir. Esse é o Midnight Booze Express. O primeiro single desse projeto, “Demon Ways”, está disponível no YouTube.

Gael
Cantor e compositor natural de Caruaru. As suas composições tem forte influência da poesia lírica, na qual se imprimi os sentimentos, emoções e desejos íntimos do homem. Nesse momento o artista dá seus primeiros passos em sua carreira solo. Acompanhado apenas de um violão, recita músicas e canta poemas em apresentação íntima, que reflete o que sua música é.

Matheus Ferraz
Tempo, saudade, incerteza e existência são temas recorrentes das canções do músico Matheus Ferraz. O compositor se joga nas vivências do ser que busca, desesperadamente, um sentido para os mistérios da vida que o cerca, além de mostrar a importância do que está além da palavra, o sentir. O primeiro disco, "contramão", está disponível em todas as plataformas digitais.

Fever Trio
A Banda, com uma linha musical calcada no blues, tem na sua formação Ícaro Trajano no vocal e guitarra, Hugo Dutra no baixo e vocal, e Victor Rossano na bateria. Na estrada há 05 anos, com dois Eps lançados e um single, o Fever Trio entra em 2020 com a sequência de apresentações dos seus EPs Norte/Sul, que são a preparação para o futuro disco previsto para o final de 2020.

Comentários