Meta-análises mostram importância do isolamento e inutilidade da cloroquina

Imagem de Michal Jarmoluk por Pixabay

Todas as evidências científicas indicam que isolamento físico é efetivo contra a propagação da epidemia

Por Leandro R. Tessler*
Revista Questão de Ciência

Temas científicos relevantes são estudados por muitos pesquisadores, às vezes ao mesmo tempo. Quando os resultados dos estudos não são idênticos (raramente são), como é possível saber quais estão corretos? A reposta pode vir das meta-análises, que são análises de análises. Meta-análises são ferramentas estatísticas fundamentais para entender problemas complexos. Uma meta-análise consiste em combinar resultados de vários estudos num só. 

Isso é feito de maneira criteriosa, de forma que estudos bem feitos e de alta qualidade têm peso alto no resultado final. Estudos não tão bem feitos têm peso menor e os muito mal feitos são excluídos. 

Combinando as diferentes pesquisas é possível chegar ao melhor entendimento dentro dos limites do conhecimento, o chamado estado da arte. Devido a sua alta confiabilidade, boas meta-análises são a base para decisões baseadas em ciência em assuntos polêmicos, inclusive temas médicos.

Duas meta-análises publicadas recentemente deveriam ser fundamentais para a elaboração de políticas públicas relativas à COVID-19. Cochrane (pronuncia-se “cocrein”) é um ambicioso projeto internacional que tem o singelo objetivo de reunir todo o conhecimento médico de qualidade do mundo. Sua missão é fornecer de forma ágil informações acessíveis e confiáveis para apoiar decisões. O prestígio da Cochrane decorre do alto rigor com que suas meta-análises são feitas e, consequentemente, sua confiabilidade. 

Vários políticos estão argumentando que o isolamento físico para conter a Covid-19 não tem base científica, que não só não resolve o problema como aumenta o contágio. Felizmente essa questão foi respondida em um dos primeiros artigos de revisão sistemática relacionados à Covid-19 da Cochrane intitulado Quarentena isolada ou em combinação com outras medidas de saúde pública para controlar a COVID‐19: uma revisão rápida (https://brazil.cochrane.org/news/ ).

Evidências científicas indicam que isolamento físico funciona

Nessa meta-análise são considerados 29 estudos, entre artigos de modelagem e estudos observacionais. Os modelos permitem comparar o desenvolvimento da doença com e sem isolamento físico. Os estudos observacionais são importantes para verificar os resultados dos modelos. A meta-análise indica consistentemente que o isolamento físico é importante para reduzir a incidência e a mortalidade durante a pandemia da Covid‐19. 

A implementação precoce do isolamento físico e sua combinação com outras medidas de saúde pública são muito importantes para garantir sua efetividade. As autoridades devem monitorar constantemente a situação do surto e o impacto das medidas implementadas. A realização de exames em amostras representativas de pessoas em diferentes locais poderia ajudar a avaliar a verdadeira dimensão da infecção, e assim reduzir a incerteza das hipóteses de modelagem. 

A meta-análise aponta ainda que existe evidência fraca de que quanto mais cedo as medidas de isolamento físico forem implementadas, menor será o impacto sobre a economia do país. Conclusão geral: todas as evidências científicas indicam que isolamento físico é efetivo contra a propagação da epidemia.

MAIS



Uso de hidroxicloroquina (HCQ) contra a Covid-19

Uma outra meta-análise, sobre o uso de hidroxicloroquina (HCQ) contra a Covid-19, foi publicada no volume de julho/agosto do periódico Diabetes & Metabolic Syndrome: Clinical Research and Reviews. A meta-análise Hydroxychloroquine in patients with COVID-19: A Systematic Review and meta-analysis (https://brazil.cochrane.org/news/) é mais limitada do que a da Cochrane. Os autores partiram de 211 artigos, mas logo de início precisaram excluir 202 porque não atendiam a critérios mínimos para inclusão. Isso já dá uma ideia da baixa qualidade científica da enorme quantidade de artigos e preprints sobre cloroquina e HCQ. 

Dos nove artigos restantes, apenas sete tinham qualidade suficiente para serem considerados. O resultado não deixa dúvidas: o tratamento com HCQ não trouxe nenhum benefício no que se refere à carga viral, mas causou um aumento significativo na mortalidade quando se compara o grupo tratado com HCQ com o grupo de controle de pacientes com Covid-19. Os estudos científicos de qualidade mostram que não devemos tratar Covid-19 com HCQ.

Meta-análises traduzem o estado da arte, o melhor conhecimento científico disponível. As duas meta-análises sobre Covid-19 têm conclusões inequívocas: isolamento físico reduz a propagação da epidemia; e a hidroxicloroquina não tem nenhum efeito positivo sobre Covid-19, e ainda aumenta a mortalidade dos pacientes. 

Infelizmente, essas duas conclusões são exatamente o contrário do que afirma o governo brasileiro, que, deliberadamente, ignora os fatos científicos quando toma suas decisões. Se não recuperarmos rapidamente o contato com a realidade através da ciência e nela basearmos nossas decisões, continuaremos enterrando milhares de brasileiros a cada dia.

Leandro R. Tessler é doutor em Física pela Universidade de Telaviv e é professor do Instituto de Física Gleb Wataghin, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mantém o blog Cultura Científica.

SUGESTÃO DE LEITURA 

Ciência no cotidiano: Viva a razão. Abaixo a ignorância!
De Carlos Orsi e Natalia Pasternak (clique na imagem para comprar)




O simples fato de vivermos no século XXI já nos faz beneficiários da ciência e dos seus frutos, mesmo que a gente não se dê conta dessa verdade. Os objetos que nos dão conforto, que nos dão prazer, que nos transportam, que nos emocionam, que nos informam (até este livro) só existem da forma como existem por conta dos conhecimentos científicos. O cidadão que ignora fatos científicos básicos pode se tornar presa fácil de curandeiros e charlatões, gente que mente para os outros e, não raro, para si mesma.

Comentários