Trio elétrico reúne Larissa Luz, Karina Buhr e Pitty no Carnaval de Salvador

Cantora Larissa Luz estará à frente do trio Respeita as Mina. Foto: Divulgação
Por Criola Comunicação

Pelo segundo ano, trio elétrico Respeita As Mina traz para o carnaval o tema da violência contra a mulher

Em todos os lugares do planeta, mulheres unem forças para exigir respeito, igualdade e enfrentar à violência contra a mulher. No Carnaval da Bahia, não será diferente. Pelo segundo ano consecutivo, sairá às ruas de Salvador o trio elétrico Respeita As Mina, uma iniciativa da Maré Produções Culturais em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA). À frente do trio, estará Larissa Luz que receberá como convidadas as cantoras Pitty e Karina Buhr, que sairão em cortejo no próximo dia 12 de fevereiro, às 16h30, no Campo Grande.  

O trio contará ainda com a DJ Ipek, que toca nos clubes mais quentes de Berlim, trazendo sons híbridos e com diferentes referencias culturais. Com rock n' roll e muita energia, as três artistas vão cantar e convocar para um momento de reflexão sobre assédio e a violência de gênero. 

A iniciativa une música e ativismo para combater a violência contra as mulheres, nas suas mais diversas formas, especialmente o assédio, tão frequente e culturalmente naturalizado nas festas de rua. Com três cantoras de trajetória artística comprometida em tratar da igualdade de gênero e da defesa dos direitos das mulheres, o trio quer estimular a paz com uma mensagem positiva e propositiva durante a folia.  Em 2017, cerca de 5 mil pessoas acompanharam o cortejo nas ruas do centro da cidade.


Diretora artística do projeto, Larissa Luz convidou Pitty e Karina Buhr para subir ao Trio Respeita as Mina, para também dar outro recado: rock n’roll pode ganhar as ruas do centro da cidade em pleno carnaval e, mais ainda, rock visceral e cheio de energia produzido por mulheres. A proposta é ousada, mas aposta na diversidade musical que a festa vem conquistando ano a ano.

“Queria trazer essa energia rock n’roll para um trio que é político, que faz um pedido de igualdade de direitos. Por isso convidar Pitty e Karina, artistas com quem já tinha tido oportunidade de cantar anteriormente. São mulheres que tem uma atitude visceral, se destacam e se impõem numa cena musical extremamente masculina e machista” explica Larissa Luz.

Comentários