Camila Ribeiro apresenta o espetáculo “Baile Frevo Roots” no Porto Musical

Camila Ribeiro iniciou seus estudos musicais aos 13 anos. Foto: Rafaella Ribeiro

Por Dulce Reis 
dulceproducao@gmail.com

A multiartista celebra a atemporalidade e a universalidade do frevo, com músicas autorais e de compositores consagrados. Show acontece no dia 01/02 (quinta-feira), às 13h

A violonista, guitarrista, bandolinista, compositora e arranjadora Camila Ribeiro apresenta o seu espetáculo solo instrumental “Baile Frevo Roots” no próximo dia 01/02 (quinta-feira), às 13h, dentro da programação do Porto Musical 2018, no Paço do Frevo, no Recife Antigo. Na apresentação, a multiartista e sua banda apresentam clássicos do repertório frevístico, músicas de compositores brasileiros que já flertaram com o gênero e temas autorais, numa perspectiva sonora de união com outras espécies musicais do mundo. A entrada é gratuita. 

Com o seu estilo inconfundível e a habilidade em fundir diversos gêneros musicais, Camila busca proporcionar, neste trabalho, o diálogo entre o frevo e a música latino-americana. A multiartista ainda aposta na união entre os ritmos afro-brasileiros e as mais diversas manifestações culturais populares mundiais. Além disso, a musicista promove o intercâmbio entre intérpretes, compositores e instrumentistas da nova geração do Brasil. 

No palco, o público poderá apreciar a atemporalidade e a universalidade do Frevo. Além disso, para Camila, o “Baile Frevo Roots” transmite uma atmosfera de volúpia que envolve o período carnavalesco e promove uma verdadeira experiência sensorial-musical. 


EP – Mostrando toda a sua versatilidade, Camila reuniu cinco músicas, sendo três de sua autoria, em um EP que será lançado ainda no primeiro semestre de 2018. Enquanto o EP não está disponível, Camila adianta que as faixas “Ciranda Sobre o Tempo” e “Brincando Na Bahia” tiveram a participação especial do instrumentista e cantor baiano Davi Moraes. Além de Davi, o trabalho, totalmente gravado no Rio de Janeiro, conta com a participação cantora carioca Monique Kessous. O EP tem a produção musical assinada pelo produtor carioca Denny Kessous e é uma verdadeira conexão Pernambuco-Bahia-Rio de Janeiro. 

Sobre a artista – Violonista, guitarrista, bandolinista, compositora e arranjadora, Camila Ribeiro iniciou seus estudos musicais aos 13 anos. Estudou teoria musical com o Maestro Ivan do Espírito Santo; violão de sete cordas e bandolim com o Maestro Marco Cesar; e guitarra com o guitarrista pernambucano Renato Bandeira. 

Aos 19 anos, Camila começou a tocar profissionalmente com artistas de Pernambuco e orquestras de baile e frevo. Em 2012, fundou a Banda Cordelândia, projeto de artes integradas voltado ao público infantil, com a fusão da música com a literatura de cordel. Entre 2014 e 2015, Camila foi vencedora do prêmio nacional Bolsa Funarte de Fomento aos artistas e Produtores Negros, com a maior nota do país, pela criação e direção musical do espetáculo “Minha Pequena África”. 

Com estilo vibrante e intenso, Camila mistura elementos da música regional do Nordeste do Brasil com sons da world music, tornando seu trabalho extremamente original e criativo.

Serviço:
Camila & Baile Frevo Roots | Porto Musical
Quando: 01/02 (quinta-feira), às 13h
Onde: Paço do Frevo (Praça do Arsenal da Marinha, S/N – Bairro do Recife)
Entrada: gratuita

Banda 
Rafael Peixoto – Percussão 
Envolvido na cultura afro-brasileira desde os quatro anos de idade, quando assumiu o cargo de “ogan alabê” da Nação Ketu no Ilê Axé Oyá Bery, Rafael Peixoto começou a tocar profissionalmente aos 10 anos. Estudou percussão popular no Conservatório Pernambucano de Música e já gravou e dividiu o palco com diversos artistas brasileiros. Referência da nova geração de percussionistas do Brasil: a excelência, a memória da pele, a ancestralidade. 

Paulinho Bustorff – Bateria e percussão 
Iniciou seus estudos musicais aos 12 anos, no Grêmio Cultural Carnavalesco Maracatu Nação Pernambuco, indo, mais tarde, estudar bateria no Centro Musical de Olinda (CEMO) e para o Conservatório Pernambucano de Música aprofundar o conhecimento em percussão popular. Já tocou com diversos nomes da música brasileira, além de realizar projetos solo com música instrumental experimental. 

Toinho Bass – Contrabaixo 
Figura célebre da música de Pernambuco, Toinho Bass transpira cultura popular. Há mais de 45 anos na estrada, fundou e participou de diversos grupos de maracatu, frevo, afoxé, ciranda, além de tocar e viajar pelo mundo afora com grandes nomes da música brasileira. Começou na guitarra na década de 70 e migrou para o contrabaixo criando um estilo próprio de tocar o instrumento. Um verdadeiro patrimônio vivo da música pernambucana. 

Márcio Oliveira – Trompete 
Teve seu primeiro contato com o trompete aos 12 anos em bandas marciais dos bairros de Peixinhos e Maranguape, nas cidades de Olinda e Paulista, na periferia da Região Metropolitana do Recife. Foi aos 14 anos que essa paixão cresceu e Márcio ingressou no Conservatório Pernambucano de Música, onde aprimorou seus conhecimentos no instrumento por oito anos. Após 19 anos de estrada tocando com artistas consagrados da música nacional, ele lançou em 2015 seu primeiro trabalho solo chamado “Encabeçando”. 

Comentários