Alongar antes de tocar pode fazer mal, informa fisioterapeuta-baterista

O fisioterapeuta e baterista Tiago Guima. Foto: Joseph Barbosa

Por AD Luna 
ad.luna@gmail.com

Antes de ensaios e principalmente quando vão fazer shows, muitos músicos costumam se alongar visando uma melhor performance. Pois bem, ao contrário do que se pensava, isso pode comprometer não só a execução como a própria saúde física de instrumentistas. É o que informa o fisioterapeuta e baterista Tiago Guima, convidado do Interdependente - música e conhecimento, veiculado no dia 4 de novembro, na Universitária FM do Recife. Além de dar dicas de saúde para quem toca com alguma frequência, ele escolheu e comentou algumas músicas do Terra Prima, que foram tocadas no programa.

Ouça o Interdependente #14 com Tiago Guima na íntegra 


Fisioterapeuta há dez anos, Tiago percebeu que música tinha tudo a ver com qualidade de vida ainda quando era estudante universitário. Ele é músico há 20 anos, gravou os discos do Terra Prima (And life begins, Second), banda pernambucana de metal, com influências de ritmos nordestinos. O grupo já abriu shows de nomes como Iron Maiden, Sepultura, Scorpions, tocou em duas edições do festival Abril pro Rock e realizou turnê na Europa.

A banda Terra Prima lançou, recentemente, o clipe de "Thomas". Foto: Divulgação

"Estudos científicos mostram a diminuição da performance e a predisposição para lesões em pessoas que fazem alongamento comum e convencional", expõe Guima. No caso específico de bateristas, muitos costumam usar as baquetas para realizar movimmentos de torção dos pulsos para se alongar. De acordo com ele, fazendo isso a pessoa força ainda mais a articulação, e a elasticidade do músculo. "Possivelmente vai gerar dor. Por isso não é indicado fazer alongamento antes de atividades físicas e musicais", defende.

Em uma certa época do longíquo século passado, costumava-se afirmar que cidadãos acima dos 30 anos estariam deveras velhos para o rock'n'roll. Mas as décadas de passaram e hoje é comum observar gente com mais de 50, 60 e 70 anos deliciando-se com os prazeres do rock e de outros estilos, em estúdios e palcos pelo mundo afora. Excluindo-se casos como o fenômeno sobrenatural Keith Richards, o vigor e disposição desses artistas se deve, principalmente, a cuidados com a própria saúde.

Flyer virtual de divulgação. Arte: Alcides Burn

Tiago Guima elenca os quatro elementos que sustentam a boa qualidade de vida de músicos: dormir bem, fazer exercícios, cuidados com a alimentação e o sono. "O sono é muito é muito importante para reparação do tecido e do corpo em geral", diz. Um dos artistas que parece seguir essas dicas é o inglês Nicko McBrain, 65 anos, baterista do Iron Maiden. 


Por conta do convite que receberam para tocar com o Iron, no Recife, em abril de 2011, em Olinda, Guima pôde observar um pouco da rotina pré-apresentação de Nicko. "Ele tinha uma bateria para aquecer, uma comida separada e uma massagista para se preparar para o show", relembra.