Formado por mulheres de quatro países, LADAMA faz turnê pelos Estados Unidos

Ladama. Foto: Kevin Bay

As quatro se conheceram no OneBeat, uma residência artística com curadoria do Found Sound Nation, que reúne músicos de todo o mundo a fim de colaborarem musicalmente uns com os outros

Por Priscila Buhr
pribuhr@gmail.com

Após três anos de produção em diferentes países e continentes, o grupo LADAMA, formado por quatro educadoras e musicistas virtuosas está se preparando para sua terceira turnê no início de setembro, nos Estados Unidos. Na série de 12 apresentações, o quarteto apresenta seu primeiro álbum, auto-intitulado, LADAMA.  A turnê começa no dia 7 setembro com show em Nova Iorque, no Rockwood Music Hall.

As integrantes do grupo - Lara Klaus (Brasil), Daniela Serna (Colômbia), Mafer Bandola (Venezuela) e Sara Lucas (Estados Unidos) - são especialistas em instrumentos acústicos e elétricos originários de seus respectivos países e vêm se destacando na cena Latina e encantando o público em seus três anos de trajetória.  

Ressignificando estilos da América do Sul e do Caribe como a Cumbia, Maracatu, Onda Nueva e Joropo, e misturando-os com Soul, R&B e pop, LADAMA presenteia o público com um som contagiante e dançante com fortes raízes na música Afro Latina.

"Somos profundamente inspiradas pelos ritmos e tradições da nossa terra natal. Me sinto ainda mais conectada com meus antecedentes e nossos ancestrais indígenas e africanos trabalhando com as meninas”, comenta Lara Klaus. "Desde a primeira vez que tocamos juntas, senti uma mudança palpável na maneira como eu me relaciono com a música e vejo isso como uma poderosa ferramenta, sendo capaz de energizar as pessoas através de minha música, além de transformar algo nelas".

As quatro jovens musicistas se conheceram no OneBeat, uma residência artística com curadoria do Found Sound Nation, que reúne músicos de todo o mundo a fim de colaborarem musicalmente uns com os outros, se concentrando em um trabalho que envolve engajamento social, produção e composição musical. Foi lá que elas descobriram um sonho comum que passou a conectá-las ainda mais: transformar pessoas através de workshops que usam a música como forma de capacitar jovens e mulheres em comunidades do mundo.


"Nós entendemos o quão raro e poderoso é encontrar outras musicistas que se desafiam e inspiram simultaneamente uma à outra como parte do processo colaborativo e que estão profundamente conectadas com a missão de capacitar outras mulheres, usando a música para quebrar estruturas e limites",  disse Sara Lucas. "A música, como forma de expressão, é uma das ferramentas mais vibrantes que as pessoas podem usar para curar e inspirar a si mesmas e suas comunidades".

As LADAMA colocaram seus sonhos em prática, integrando suas habilidades únicas de tocar a bandola llanera da Venezuela, o tambor alegre da Colômbia, o pandeiro e a zabumba do Nordeste brasileiro, ao som de instrumentos elétricos para criar um gênero musical único e inovador.

Ao fundir e modernizar os ritmos tradicionais, o LADAMA está criando uma nova conversa musical com apelo global, música para sacudir a alma. Fluindo do acústico ao elétrico, do espanhol e do inglês ao português, e das planícies altas da Venezuela para a costa colombiana, LADAMA e seu álbum inaugural provam que as fronteiras não têm sentido e devem ser quebradas.

TURNÊ EUA LADAMA

07 de setembro- Album Launch| Rockwood 3– New York, NY
15 de setembro- Landfall Festival– Cedar Rapids, IA
16 de setembro- Madison World Music Festival– Madison, WI
18 de setembro- Global Roots Festival– Minneapolis, MN
23 de setembro- Washington University– St Louis, MO
29 e 30 de setembro- Lotus Festival– Bloomington, IN
01 de outubro- BK Botanical Garden| ChilliFest– Brooklyn, NY
06 de outubro- Columbia Pike Branch Library– Arlington, VA
7 e 8 de outubro- Shakori Hills Festival– Pittsboro, NC
20 de outubro- Columbus Theater– Providence, RI
24 e 25 de outubro- Dartmouth University– Hanover, NH
2 e 3 de novembro- Tedx Charlottesville– Charlottesville, VA

No single Porro Maracatu, o quarteto combina o porro da Colômbia com o maracatu do Brasil. As imagens foram gravadas no Recife e em Bogotá. O clipe que celebra o encontro de culturas promovido pelas musicistas foi dirigido por María Catalina Sandoval (@videorganica).