terça-feira, junho 27, 2017

Música sertaneja em festas juninas ainda é pouco!

Xilogravura do artista pernambucano J. Borges

Por AD Luna

Dei uma espiada em alguns dos debates referentes à invasão de artistas sertanejos nas grandes festas juninas públicas de cidades do Nordeste. Cantores, cantoras e instrumentistas do forró têm reclamado, via imprensa e redes sociais, da perda de espaço.

Para saber mais a respeito:



Tenho uma coisa a dizer, não só ao povo forrozeiro, como a toda população pernambucana, nordestina, brasileira, mundial e, quiçá, extraterrestre!

Caros protestantes, vocês estão fazendo a coisa errada. Como já dizia Jesus, no Evangelho de Tomás, capítulo 7, versículo 78: "Se não pode com eles, junte-se a eles!"

Em vez de tentar restringir a participação sertaneja nos festejos juninos, todos deveriam é aproveitar o som que "o povo quer ouvir" e aumentar a renda.

MÚSICA SERTANEJA EM FESTAS JUNINAS AINDA É POUCO!

sexta-feira, junho 02, 2017

A história do alemão forrozeiro homenageado por músicos brasileiros


(Matéria publicada originalmente no Jornal do Commercio, em 10/06/2012)

Por AD Luna - ad.luna@gmail.com

Indicado em 1991 ao mais conhecido prêmio internacional da música, o Grammy, o disco Brazil: forró - music for maids and taxi drivers (Brasil: forró - música para empregadas domésticas e motoristas de táxi) pode ser encontrado apenas em lojas físicas ou virtuais estrangeiras (saiba mais clicando aqui). Foi por indicação de uma amiga paulista que o alemão Jan Lumme, 31 anos, morador de Bielefeld, no Nordeste da Alemanha, tomou conhecimento da mais famosa manifestação musical do Nordeste e do álbum Brazil: forró. Encantado pelo que ouviu, Jan do Pandeiro (seu nome artístico) começou a publicar vídeos no YouTube nos quais ele aparece tocando músicas de Toinho de Alagoas, um dos forrozeiros presente no disco.