Tema de novela, budismo também está presente no cinema

Novela global atingiu 21 pontos na estreia. Budismo tibetano é usado como pano de fundo do folhetim

Por AD Luna

ad.luna@gmail.com



Matéria originalmente publicada no Diario de Pernambuco, em 18/09/2013
A novela da Rede Globo Joia rara, que estreou na segunda (16), no horário das 18h, tem como pano de fundo para suas tradicionais histórias de amor e paixão o budismo. A religião é uma das mais populares do mundo, com mais de 370 milhões de adeptos no mundo, e cerca de 250 mil no Brasil, segundo dados do IBGE.
Ela foi fundada pelos seguidores de Siddarta Gautama, o Buda, que nasceu e viveu na Índia há cerca de 2600 anos. “Joia rara é uma história de amor da humanidade. Nossa proposta é que o budismo seja como um manto abraçando a novela.”, diz Thelma Freitas, que, junto Duca Rachid, é responsável pelo texto da produção televisiva.
Assim como já aconteceu com as novelas O clone (2001-2002), que abordou o islamismo, e Caminho das Índias (2009), traços do hinduísmo, Joia rara deve despertar interesse e curiosidade pelo budismo. Tal doutrina oriental influenciou e continua a influenciar as artes, o comportamento e o pensamento de povos do Japão, China, Tailândia, Butão, Tibete e também de ocidentais - como atestam diversas obras artísticas.

Budistas brasileiros falam sobre a exposição dos ensinamentos de Buda, chamado de Dharma, em Joia rara.

“O Dharma é algo bastante pessoal, transmitido de mestre para discípulo. É muito difícil transmitir em um programa, ou em uma novela, esses ensinamentos de maneira realmente correta”.
Lama Karma Tartchin (RJ), linhagem tibetana Kagyu - www.kttbrasil.org

“São sementes jogadas ao vento que, caso encontrem um terreno fértil no coração dos ouvintes, brotarão e darão flores lindas. Caso não encontrem uma terra adubada, terão que ser posteriormente cuidadas e nutridas em lugares onde tais sementes são cultivadas - nos centros de meditação e através de professores qualificados”.
Lama Jigme Lhawang (RS/PE), linhagem tibetana Drukpa - www.drukpabrasil.org

"A mídia é pautada pela própria audiência, assim seu compromisso básico é com sua própria repercussão. Que o budismo seja tema da TV é um bom sinal de que há um interesse mesmo que difuso nos seus temas. Haverá tempo para que as naturais distorções sejam corrigidas por mestres verdadeiros. As sementes do Dharma crescerão onde houver terreno fértil e desejo de diminuir os sofrimentos dos seres. A mera motivação criada pelo ouvir que os ensinamentos de Buda existem já é um grande mérito".
Genshô Sensei (SC), escola SotoShu, Zen Budismo - www.daissen.org.br

"Um tempo atrás, uma novela abordou outra religião oriental. Embora resumidamente, era muito interessante como divulgação de que há outros caminhos de ser ver a vida e a morte, que não estes que a maioria de nós conhecemos aqui no Ocidente. Assim, é bem válido, desde que se divulgue o ensinamento de forma sincera".
Giliate Mokudô (PE), monge zen - http://centrozendorecife.blogspot.com.br/
"Uma novela tem objetivos específicos, de acordo com a política editorial da emissora e de seus anunciantes. É claro que esses objetivos não serão os mesmos que aqueles do Buddhismo, o qual visa primariamente desenvolver a atenção em relação ao consumo, ao poder da publicidade, e dirigir o indivíduo para a libertação da ganância, do ódio e da ignorância. Neste cruzamento de duas perspectivas tão diferentes, devemos esperar que muitos enganos sejam cometidos, mas também possa estimular este ou aquele indivíduo a querer buscar saber mais. E isso já terá sua utilidade".
Ricardo Sasaki, Diretor-Fundador do Centro de Estudos Buddhistas Nalanda - http://nalanda.org.br/
QUESTÕES BÁSICAS E CURIOSIDADES



Essência do ensinamento budista
“Não crie sofrimento. Pratique a virtude. Seja senhor de sua mente. Eis o ensinamento do Buda”. Palavras atribuídas ao próprio Siddarta Gautama.

Buda era gordo?
Não. Tal equívoco se dá por conta da utilização da imagem de Putai (como conhecido na China, ou Hotei, no Japão), o qual teria sido um monge muito bondoso. Segundo a tradição, o Buda seria na verdade magro, como atestam as estátuas contidas em templos de várias linhagens.

Escrituras
Assim como Jesus, Buda não deixou nada escrito. Seus ensinamentos (cerca de 84 mil) foram decorados pelos discípulos e, muitos anos depois, reunidos no chamado Tripitaka.

Dalai Lama
O líder tibetano não é o equivalente ao papa católico, pois representa apenas uma das escolas tibetanas. Cada tradição budista tem seu próprio líder. O budismo não possui um poder central, algo como um “vaticano”. Mesmo assim, o Dalai Lama é bastante respeitado por budistas de todas as tradições, inclusive por gente de outras religiões e pessoas não religiosas.

Deus
O budismo é uma religião não-teísta. Os budistas não discutem nem teorizam a respeito da existência de um deus criador, no qual se baseia o fundamento de religiões teístas como o cristianismo, islamismo e judaísmo.

Alma
Para o budismo não existe algo como um “eu” ou alma imutável. Tudo no cosmos e na natureza está em mudança constante, inclusive todos nós.  O que pensamos ser um “eu” é, na verdade, um fluxo impermanente moldado a partir de leis universais de causas, efeitos e condições.

Reencarnação
Ainda que essa palavra seja encontrada em textos sobre o budismo, principalmente por erros de tradução, não é correto afirmar que budistas acreditem em reencarnação, do modo como os espíritas a entendem, por exemplo. O que se manifesta novamente é o carma (conjunto de impulsos e ações), o qual gera uma nova existência, mas que não é uma pessoa reencarnada. A título de ilustração, pense num caroço de manga plantado. Ele vai gerar uma árvore e esta novos frutos, estes são “manifestações cármicas” da manga plantada.

Principais tradições/escolas budistas

O budismo se espalhou por diversos países e foi se adaptando aos costumes e culturas locais, o que ocasionou na multiplicação de formas de ensinamentos e práticas.

Theravada - É a mais antiga das escolas sobreviventes e a que mais se aproxima da maneira como os ensinamentos eram transmitidos no tempo de Buda. Encontra-se presente em Myanmar, Tailândia, Laos, Camboja e no Sri Lanka.

Terra Pura - É bastante popular na China, Vietnã, Coréia e Japão. Com o intuito de facilitar a transmissão dos ensinamentos, utiliza-se de linguagem simples e elementos míticos.

Zen - Influenciou fortemente a cultura e as artes tradicionais japonesas e a cultura pop ocidental, na segunda metade do século 20. Foca-se principalmente na meditação.

Vajrayana ou tântrico - Além da meditação, trabalha com mantras e visualizações. É característica de países como o Tibete, Mongólia, Indonésia e tem se expandindo bastante no Ocidente. As autoras de Joia rara se basearam nessa escola para roteirizar a novela.

Nichiren - Foi fundada por Nichiren Shonin, no século 13, no Japão. Ele foi um reformador que trabalhou para que os ensinamentos budistas transcendessem os círculos eruditos e voltassem a ser acessíveis a pessoas comuns.

FILMES COM TEMÁTICAS BUDISTAS


Matrix é um dos filmes com temática budista

Star Wars e Matrix
Dentre filmes de ação e ficção científica de sucesso lançados por Hollywood com temáticas implicitamente budistas, o Rev. Mauricio Hondaku, soryo budista da Ordem Shinshu Otani, destaca Guerra nas Estrelas (Star Wars) e Matrix.
Em Star Wars, Hondaku vê Luke Skywalker como a representação do ser humano em busca da iluminação, tal qual o príncipe Sidharta Gautama, que se tornou o Buda. Ele se desenvolve espiritualmente e se torna membro da Ordem dos Cavaleiros Jedi.  “Estes, tendo o Mestre Yoda como conselheiro principal, lembram claramente o ideal samuraico do período Meiji japonês: por um lado guerreiros implacáveis, por outro, meditadores e sábios com um código de conduta impecável associado diretamente ao Caminho do Meio budista”.
Em Matrix, a temática seria mais filosófica, com bases no conceito budista de que todos vivemos em uma "farsa intelectual". “Vivemos numa ilusão criada pela nossa própria mente pois estamos preocupados com fatores alheios a nossa existência tais como ganância, dinheiro, bem-estar e carecemos de capacidade de ‘ver’ a Realidade como ela realmente é”, comenta.  
Mauricio explica que a matrix no filme é a mente humana enquanto criadora de situações ilusórias, distorções da realidade.. “Isso tem base em um sistema filosófico budista bastante complexo chamado Yogachara, na qual afirma que tudo que vemos, vivemos e sentimos é produto exclusivo de nossa mente”.

Outros filmes

O pequeno Buda (1993) -  Em paralelo à história da busca de monges tibetanos da reencarnação (renascimento, manifestação cármica) de um mestre deles, o filme apresenta a história do príncipe Siddarta Gautama (interpretado por Keanu Reeves), do seu nascimento até sua iluminação. O longa foi dirigido por Bernardo Bertolucci.
Trecho de O pequeno Buda
Sete anos no Tibete (1997) - Baseado no livro homônimo, o filme mostra a saga do alpinista alemão Heinrich Harrer. Arrogante e egocêntrico, ele vai se transformando durante o tempo em que vive como exilado no meio do povo tibetano e devido a suas conversas com o Dalai Lama.
Trailer do filme
Samsara (2001) - Depois de passar três em retiro de meditação, Tashi, um jovem monge tibetano volta a seu monastério. O encantamento por uma bela dançarina faz com que ele se desvie do caminho religioso.
Trailer de Samsara
Kundun (1997) - Com direção de Martin Scorsese e trilha sonora de Philip Glass, o filme  mostra a história de Tenzin Gyatso, o atual Dalai Lama.
Trailer de Kundun

A origem (2010) - Estrelado por Leonardo DiCapri e dirigido por Christopher Nolan (da recente trilogia de filmes de Batman), a obra se baseia no fenômeno dos sonhos lúcidos - quando a pessoa sonha e consegue certo grau de consciência dentro do estado onírico. O tema é estudado há séculos pelos budistas tibetanos, por meio da “yoga dos sonhos”.
Trailer de A origem
PARA SABER MAIS
Colegiado Buddhista Brasileiro http://cbb.bodhimandala.com/
Sites e blogs
LOCAIS DE PRÁTICA EM PERNAMBUCO
Centro Budista Drukpa Recife - www.drukpabrasil.org
Seirenji Centro Zen do Recife -  http://centrozendorecife.blogspot.com.br/