Para prestar atenção! O rock-soul-blues do Vintage Trouble

Vintage Trouble. Foto: Lee Cherry

Por AD Luna - ad.luna@gmail.com

Há pouco tempo uma entrevista com o cantor e compositor brasileiro Seu Jorge, mesmo que mal interpretada, acabou por gerar discussões a respeito do sumiço da "negritude" no rock´n´roll atual. Bem, a despeito de análises mais abrangentes sobre a questão, é preciso dizer que o mundo deveria conhecer a Vintage Trouble.

A banda surgiu em Los Angeles, em 2010. Já no ano seguinte, Ty Taylor (vocal), Nalle Colt (guitarra), Rick Barrio Dill (baixo) e Richard Danielson (bateria) lançaram The bomb shelter sessions, álbum de estreia formado por dez ótimas canções. Isso! Todas as músicas do disco são campeãs. Algo bem raro de acontecer atualmente.


Os rapazes citam como suas principais influências Albert King, Beatles, Otis Redding, The Black Keys, Ike & Tina, Funk Brothers, Prince, The Rolling Stones, Sam & Dave, Ray Charles. É possível, realmente, observar a presença de toda essa gente na música do Vintage. Mas o quarteto consegue ter personalidade. Os shows são explosivos, intensos, o que torna suas criações ainda melhores. Eles já abriram shows do The Who, Lenny Kravitz, Bon Jovi e dos Stones, além de participar de inúmeros festivais como Bonnaroo, Coachella, SXSW e Rock in Rio. A participação no evento brasileiro ocorreu em 2013. A apresentação foi bastante elogiada, mas a projeção não saiu a contento visto que o VT tocou em um horário não muito favorável.

Elegância e bom gosto é marcam a acertada escolha de timbres por cada um dos instrumentistas do grupo, o que combina com o visual também impecável. Ty Taylor canta magnificamente bem, conseguindo se equilibrar com maestria por canções blues, mais contemplativas, até as mais energéticas. Quanto à desenvoltura de palco, já houve quem o descrevesse como uma versão mais rocker de James Brown. Faz sentido!

No programa de David Letterman

Sensualidade é outro ponto a se destacar na música do Vintage Trouble. Belas e enigmáticas mulheres inspiram composições do grupo. É o caso de Nancy Lee, cujo videoclipe foi gravado com cinco iPhones e Jezzebella. As personagens de cada vídeo são interpretadas por uma atriz branca e outra negra. Aliás, não é incomum encontrar pessoas dessas etnias se misturando e interagindo em outros clipes e gravações de shows do VT. Em Total strangers, um casal brinca com joguinhos sexuais até chegar ao clímax.

Vintage Trouble é som para se ouvir com cuidado e também para dançar e sensualizar. Coisas muito boas a se fazer em meio à certa caretice e conservadorismo "branco" presentes no rock atual.