Jornalismo interpretativo, o Homem acultural e a mensagem de Moby



Extraído do livro Jornalismo interpretativo (editora Sulina, 1976), de Luiz Beltrão

O homem cultural não está preso à realidade, ao interesse imediato, limitado e até mesmo irracional, como o homem acultural. Este é “possuidor apenas de Inteligência prática que lhe dá tão somente uma visão cinematográfica da realidade, incapaz de afastar-se do mundo para olhar o mundo e desprender-se de si mesmo para refletir sobre seu significado e valor. Subtrai-se de certas tiranias da ordem natural, mas age mecânica, instintiva e habitualmente.

Não possui o espírito intencional, a atividade especulativa, e o elemento volitivo necessário para construir o universo simbólico, que caracterizam a cultura... possui uma diversidade de comportamento mas não possui a capacidade de assumir atitude, o que importa uma interpretação e uma visão analítica da realidade... vê o mundo, mas é incapaz de compreendê-lo... age, mas sem espírito organizador, sem vivências espirituais, sem intenção cultural. Age apenas para satisfazer suas necessidades à semelhança dos seres irracionais.”

 Moby - "Are you lost in the world like me?"